Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Vergonhas de criança

por Samuel Garcia Portugal, em 24.05.16

Eu tinha 8 anos, foi por volta de 1995. Estava no Algarve com a minha família de férias, e uns tios e primos também. Naquela altura o meu pai gostava de explorar todas as praias do Algarve e, dois tios meus e um primo gostavam muito da pesca. Todos esses fatores conjugados fizeram com que fossemos para perto da ponta de Sagres.

Uma revista (talvez a Visão) fez um artigo sobre praias interessantes e relativamente desconhecidas, e fez uma ótima recomendação da Praia do Barranco que ficava perto da ponta de Sagres.

Hoje em dia não sei, mas naquela altura, praticamente desde que se saía da N125 até à praia, que o caminho não era asfaltado, era tudo em terra batida (mal batida, o caminho era horrível). Mas lá chegámos. A praia até era agradável, tinha pouca gente e era vigiada.

Lembro-me de ter passado um bom bocado e de ter aproveitado bem a água. A minha mãe sempre foi um pouco apreensiva em relação ao mar e, segundo ela, aquele mar parecia um pouco traiçoeiro, porque aquilo fazia uma espécie de baía e, de vez em quando, o mar ficava mais agitado, com ondas bastante grandes.

Durante a tarde, numa altura em que me encontrava a divertir na água com a minha "pseudo-prancha" de bodyboard, a minha mãe achou que eu estava há tempo demais na água e pediu ao meu pai para me ir chamar e tirar da água. O meu pai com o seu "espírito jovem", e para não me querer estragar muito a diversão, disse que era a vez dele de experimentar a prancha e disse para eu ir buscar a câmara de filmar (na altura filmávamos tudo), para o filmar nas suas.... manobras.

Eu assim fiz e lá estive a filmar o meu pai durante algum tempo. E ele parecia mesmo divertido com aquilo, ao ponto de ter ido mesmo para longe e eu quase já não o conseguir apanhar com a câmara. Já estava com o zoom no máximo e volta e meia ia tentando filmar o que apanhava. A certa altura ele tenta gritar-me (julgava eu) alguma coisa que não percebi bem o que era. Achei que era ele a relembrar-me de o filmar, e lá gritei eu de volta "Eu estou a filmar"...

Hands-Drowning-Sea.jpg

 

Eis senão quando vejo o nadador salvador a entrar na água com a sua enorme prancha. Sendo que o meu pai era a única pessoa que estava na água naquela altura, qual foi o meu pensamento? "Olha, este acha que o meu pai se está a afogar ou assim e ele só está a pedir para eu o filmar". E este foi o meu pensamento por poucos instantes, até olhar para trás e ver a minha mãe e a minha irmã a virem para a minha beira já a chorar e aos berros. Aí percebi que, se calhar, o nadador salvador tivesse razão.

Eu fui acalmando a minha mãe com a minha sabedoria de 8 anos, e o nadador salvador trouxe o meu pai de volta para a areia. Deu-lhe um raspanete, dizendo que se não sabia o que estava a fazer com a prancha para não o fazer. E fê-lo saltar para a enorme prancha dele, onde estavam os dois, e fez também o meu pai dar aos braços para chegar até à areia como forma de castigo.

Tudo acabou bem, mas eu não deixei de guardar esta vergonha de ter pensado que toda a gente estava enganada menos eu. De qualquer forma aguentei-me feito um homem... bom, pelo menos até acabar toda a situação. Cerca de uma hora depois devo ter "caído em mim" e desatei a chorar porque nem fui capaz de me aperceber que se calhar o meu pai estava em dificuldades...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:09


2 comentários

Imagem de perfil

De Nay a 24.05.2016 às 16:01

A tua mãe é que deve ter dito "és pior que o miúdo tu!", de certeza. Não?!?!?
Imagem de perfil

De Samuel Garcia Portugal a 24.05.2016 às 16:06

Eu não me consigo lembrar ao certo. Mas é bem capaz de ter dito isso :D
O meu pai é excelente, mas volta e meia lembra-se de cada uma... Tem é tido muita sorte na vida e nunca lhe aconteceu nada de mais :P

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.