Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O meu primeiro beijo

por Samuel Garcia Portugal, em 10.03.16

No 8º ano eu mudei de turma logo no início do ano porque a composição da minha primeira turma não agradou aos meus pais (tinha muitos repetentes e muita gente velha demais para estar no 8º ano).

Conhecia um pouco algumas das pessoas da turma para onde fui, em especial uma rapariga, a Laura, que sempre tinha mexido comigo quando falava com ela por algum motivo. Essa mudança de turma fez com que tivesse mais contacto com ela e assim passamos a conversar mais e, como também fazíamos parte do caminho para casa juntos, fomos ganhando uma certa afinidade.

Não me lembro de todos os pormenores de como as coisas correram, e certamente que não me lembrarei de todos os pormenores de outras histórias, mas lembro-me que nesta em particular acabei por pedi-la em namoro.

O namoro, ou "namoro", era uma coisa natural, pelo menos no meio onde estava ou tendo em consideração as pessoas com quem me dava e a idade que tinha (cerca de 13 anos). Não havia muito o hábito de se curtir só "porque sim" e portanto o namoro era o passo normal para quem queria mais alguma coisa. No meu caso, e até ser relativamente mais velho, não me passou pela cabeça estar com uma rapariga só para poder curtir com ela, apesar de nessa altura esperar ansiosamente pela experiência do primeiro beijo.

Ela aceitou o meu pedido de namoro mas não queria que ninguém soubesse, sobretudo porque podia chegar aos ouvidos da mãe. Acho que nunca percebi os motivos concretos, mas estes teriam a ver com histórias do "passado" dela.

Eu sabia também que não seria o primeiro beijo dela, mas também por isso calculei que esse passo chegasse rapidamente para nós.

Lembro-me que combinámos as coisas para um dia e hora específicos. À hora de almoço (depois de almoçarmos), numa quarta-feira. Lembro-me que era quarta-feira por algum motivo, talvez porque o horário tivesse uma particularidade qualquer naquele dia da semana, mas isso ficou-me na memória, o que sempre achei curioso.

No dia e hora combinados, lá fomos para um lugar que sabíamos ser mais sossegado na escola, e a verdade é que enquanto lá estivemos, que também não foi muito tempo, não passou ninguém.

E assim foi. Chegámos e eu agarrei-me a ela contra a parede do pavilhão, naquele recanto exterior da escola, preparando-me para fazer algo de que certamente me lembrarei para o resto da vida. Não foi um beijo muito longo, foram cerca de três beijos de média duração, onde aproveitei para encostar bem o meu corpo no dela e também sentir os seus seios que eram daqueles atributos interessantes dela, e que me interessavam particularmente.

tumblr_o79fbe5AIg1ugvbvyo1_500.gif

 

Lembro-me de ter sido bem interessante, provar aquela boca quente, aqueles lábios carnudos. Ela beijava bem. Naquela altura obviamente que não tinha ponto de comparação, mas vim a perceber com o tempo que de todas as raparigas que beijei, ela era das que melhor beijava. E não, não foi só por aquele ter sido o primeiro beijo que fiquei com essa recordação. Apesar de ter sido o único desse nosso curto namoro, as nossas histórias amorosas voltaram a cruzar-se mais à frente no tempo, mas isso fica para outro post.

Sim, foi um curto namoro. Não tivemos mais oportunidades para beijos e passados cinco dias a Laura chegou à minha beira a dizer que tínhamos de terminar. Alguém supostamente tinha feito chegar uma carta à mãe dela a dizer que namorávamos e ela não podia arriscar. Nunca acreditei muito naquela história mas a desilusão passou relativamente rápido.

Um passo importante da minha vida tinha sido dado.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.